Facebook Blog - Fiquemforma

Novo ano, vida nova

Lista de objectivos, novo ano vida nova, iniciar actividade físicaJá terminaram oficialmente as festas de Natal, os jantares de empresa, os jantares de amigos, os almoços de família que duram 3 horas e por aí a fora. A vida não é só treino, mas também não é só comer e beber acima daquilo que são as necessidades calóricas individuais.

Resoluções de ano novo
É na viragem do ano que muitas mudanças são planeadas e materializadas. As pessoas deixam de fumar, começam a treinar, mudam de rotinas, enfim, tomam decisões que têm implicações positivas na sua vida.
Acaba por resultar. Após uma reflexão que às vezes demora meses, ou até mesmo anos, contudo é na entrada no novo ano que mais mudanças ocorrem.
Estas resoluções têm a ver com algo que também está intrinsecamente ligado ao treino, o compromisso. Só quando existe um compromisso connosco próprios é que podem ser atingidos resultados. Esse compromisso que implica uma acção concreta e a sua manutenção até que seja atingido o resultado pretendido.
Vantagens de começar em Janeiro
No que toca ao treino, Janeiro é uma excelente época para começar a treinar, em primeiro lugar há que atacar os disparates ocorridos no mês de Dezembro, depois o Verão ainda está longe e há tempo de atingir resultados sem haver a pressão do fato de banho. Não é em Maio que as pessoas conseguem reduzir 10 % de gordura para em Junho estarem impecáveis, isso infelizmente não é possível que aconteça saudavelmente. Agora de Janeiro para Junho sim, é possível fazer uma boa transformação física.

Dificuldades em retomar a prática. O mês de Dezembro é uma catástrofe calórica!
Os abusos de açúcares, de gorduras, de álcool, durante esta época festiva, deixam o corpo preguiçoso e com menos capacidade para o treino, ao contrário do que se possa pensar. Estar a ingerir permanentemente açúcares simples, fomentando picos de insulina para a remoção desses mesmos açúcares da corrente sanguínea, fazem com que o organismo entre num ciclo constante de picos de fome devido à actuação dos açúcares e da insulina, fundamentalmente.
É preciso quase fazer uma desintoxicação dos doces de modo a que o organismo volte a um funcionamento saudável de novo. É aqui que também aparece o exercício físico, é sabido que do ponto de vista da fisiologia do exercício os doces não ajudam em nada no treino, nem na recuperação do mesmo, salvo a maltodextrose, ou a frutose por exemplo em determinadas modalidades que se caracterizam pela forte intensidade de treino. Portanto, após esta fase há que resistir a uma certa letargia provocada pelos excessos e mudar de hábitos progressivamente até que o organismo se adapte novamente ao treino e à ingestão calórica adequada às necessidades individuais.
Na Fiquemforma são muitas as pessoas que aderem ao treino no mês de Janeiro.
Os clientes de Janeiro vêm com resoluções e objectivos bem definidos. Normalmente são pessoas que aderem à prática da actividade física de uma maneira muito afirmativa e quando conseguem ultrapassar os constrangimentos iniciais surpreendem-nos com excelentes resultados. Nesse sentido temos sempre muita esperança nos clientes de Janeiro.
Por outro lado o treino fica bem mais fácil nos meses de frio que nos meses de calor por razões fisiológicas que se prendem com a termorregulação corporal, mecanismo primário inerente a todos os seres vivos a que investigadores e estudiosos como António Damásio colocaram em evidencia em diversos estudos e livros como é exemplo o Erro de Descartes. O facto da temperatura ambiente estar baixa permite que o controlo da frequência cardíaca e a recuperação cardíaca seja mais fácil para um organismo pouco preparado no Inverno, que no verão. É sempre muito mais difícil treinar intensamente no verão, que no inverno. Portanto, a temperatura ambiente pode ajudar ou condicionar os praticantes pouco preparados, numa fase embrionária da sua prática.
Sugestões para mudar de hábitos
1 – Analise o que está mal e gostaria de mudar,
2 – Informe-se para saber o que fazer, no caso do treino quantos minutos tem de treinar por semana e que alimentação deve passar a ter,
3 – Olhe para a sua agenda semanal e veja onde pode encaixar os treinos sem que os tenha de desmarcar,
4 – Fale com um profissional de peça-lhe ajuda na orientação do seu treino,
5 – Mantenha o foco e não desista.
Estas sugestões parecem simples, mas executar todas estas fases até integrar o treino no dia-a-dia, cumprindo todas as semanas, entre segunda feira a domingo, os treinos a que se propôs, vai ver que é isso que é efectivamente mudar de hábitos e realmente só muda de hábitos quem concretiza aquilo a que se propôs.